Open Bar

Agricultores podem aderir à renegociação de dívidas do Pronaf até 30 de junho


Agricultores que têm operações de custeio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), contratadas até 30 de junho de 2010, têm até o dia 30 de junho deste ano para manifestar o interesse em retomar o pagamento das dívidas. As regras foram publicadas por meio da Resolução 4.309/2013, na terça-feira, 11 de fevereiro.
A Resolução beneficia os agricultores, que podem solicitar a renegociação dos financiamentos em um prazo maior. E os agentes financeiros também terão mais tempo para oficializar essas operações. A renegociação pode ser feita com dívidas de até R$ 10 mil. O número de agricultores beneficiados pode chegar a 660 mil.
O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) estima que 10 milhões de hectares possam ser usados para aumentar a produção agrícola do Brasil após a renegociação das dívidas e a abertura de novos créditos.
Regras para o refinanciamento
De acordo com a Resolução 4.309/2013, o refinanciamento das dívidas é válido para os agricultores que estavam inadimplentes no dia 18 de novembro de 2011 com operações contratadas até 30 de junho de 2010. Aqueles que estavam adimplentes no dia 18 de novembro de 2011, mas tinham dívidas contratadas até 30 de junho de 2008 também são beneficiados com a medida.
Os agricultores que tinham operações de custeio e de investimento do Programa para Geração de Emprego e Renda Rural (Proger Rural) Familiar, contratadas de 26 de junho de 2003 a 28 de junho de 2004, estão listados para renegociar as dívidas. O limite de crédito por beneficiário para contratar novas operações é de R$ 30 mil.
Acesse Resolução 4.309/2013 na íntegra

0 comentários:

Postar um comentário

Todos os comentários passam por moderação e caso não enquadrem-se na política de comentários serão rejeitados.

De maneira alguma será uma forma de barrar a participação dos leitores, mas sim como ja foi dito, de manter um debate de alto nível. Caso tenha dúvida consulte a Política de comentários.

Ao escrever, pense como se o proprietário do blog. E que você pode ser responsabilizado judicialmente pelos comentários.

Mesmo assim, antes de comentar, procure analisar se o seu comentário tem realmente algo em comum com o assunto em questão.

Comentários em tom ofensivo, ou que acusem diretamente pessoas envolvidas ou não nas postagens não serão publicados.

Obrigado e não deixe de comentar.